domingo, 2 de maio de 2010

Sym, de Trezentos no Lés-a-Lés de Dois Mil e Dez

(imagem cedida por Ernesto Brochado)

Não é novidade que prefiro não repetir scooters no Lés-a-Lés. Em 2008 levei a Granturismo. Em 2009 comprei a Helix propositadamente para o efeito. Em 2010 quis variar e não reincidir nas receitas anteriores.

Lancei o repto ao importador em Portugal de um construtor em forte crescimento no nosso mercado. Desconfio que não é só pela fonética feliz, em português, que o nome da marca gera simpatia. O modo aberto como a SYM, através da Red Moto, aderiu ao desafio demonstra algo que valorizo: espírito entusiasta e confiança no produto. O que talvez ajude a explicar parte das razões do sucesso comercial de que tem vindo a beneficiar. 

O Offramp está habituado a Lambrettas vibrantes, Vespas rotativas, Heinkels luxuosas e Hondas de sofá. Este Lés-a-Lés representa uma nova experiência scooterística: viajar numa scooter de Taiwan de roda alta da nova geração, com motor encorpado, injecção de combustível e pose de all rounder. Durante cerca de cinco dias e dois mil quilómetros de estradas tortuosas de asfalto, gravilha e terra, estarei entregue a uma SYM Citycom 300 i. Será a primeira vez que, no Lés a Lés, terei vinte e três cavalos às ordens do meu punho direito. Conto com a experiência de quase 50 anos de história da SYM para me assegurar que nenhum deles dormirá durante a prova.



(imagem: soloscooter.com)

9 comentários:

João Ruas disse...

Sym Senhor!... é assym é que eu gosto de te ler!!!

Grande Abraço
Jone e Elsa

Rui Tavares disse...

E onde pensas pôr o leitor de Road-Book nesse secador de plástico?
A sério. Good choice. Nos nossos dias essas máquinas assumem um papel cada vez mais importante.
By the way, a Sym sabe nos caminhos em que tu vais meter o brinquedo deles? :)
Abraço

Bessa disse...

Xiiii, roda alta e 300cc é um luxo! Quando comecei a ler pensei que era numa Fiddle II de 50cc que ias... : )

Cá espero depois os relatos, teus e do Rui.

Abraço!

MOTARTE disse...

Boa opção! ;)

VCS disse...

João Ruas:
Sabe sempre bem ouvir um Sym ;)

Rui Tavares:
Não podia deixar-te sem nada para fazer. Encaixar ali o suporte vai exigir alguma imaginação, mas o ano passado também se conseguiu na Helix, sem estragar. Hoje estive a olhar com atenção para uma Citycom na rua e o topo do painel faz um "v" invertido que talvez valha a pena explorar para fabricar uma base para o suporte.

Bessa:
Com uma 50cc stock imagino que seja muito, muito duro. Com a quantidade de Fiddles 125cc que se vão vendo por Lisboa, não me admiraria se aparecesse alguma no LAL !

Motarte:
No papel, julgo que as scooters 300cc são a solução actual mais equilibrada. Mais rápidas e polivalentes do que as 125/200, mais económicas e leves do que as 400/500. Antevejo um excelente compromisso para o LAL 2010:)

Júlio disse...

Maquinão!!!! :)
Com rodas de 16´e 300cc estás bem servido. Parabéns à SYM pela resposta positiva ao teu desafio.
Fico a aguardar, ainda com mais interesse, a crónica do LaL2010
Abraço
Júlio

VCS disse...

Júlio:

Com 300cc e jante 16" estamos no mesmo patamar da Honda SH 300 que tanta curiosidade te despertou. Não nego que é grande a expectativa, até porque quase tudo o que tenho lido sobre a CityCom é positivo.

huguinho disse...

Na resposta ao MOTARTE esqueceste-te de referir a GTS 250 i.e.
Só queria deixar isso claro.
Amigos como dantes!

VCS disse...

Huguinho:
Sim, as 250cc estão num patamar muito equivalente, claro. Mas a fronteira tem que estabelecer-se algures :)
Convém também não esquecer que muitas das 300cc actuais são, na verdade, 275cc.

Um abraço!