domingo, 14 de fevereiro de 2010

Ainda Caem Imagens de Neve


Hoje tirei o pó à GT para um passeio curto, cerca de setenta quilómetros com luz dura, a pedir óculos escuros. Desde o regresso da Estrela que não saía da garagem, parecia até que ainda trazia gasolina serrana nas veias. Na verdade, o fluxo das imagens decoradas com o manto branco ainda não sofreu erosão. Tenho dado por elas a deambular amiúde no meu espírito. Talvez por isso, e porque é provável que nos tempos mais próximos continue a contornar a scooter na garagem, volto agora ao tema como estratégia de combate à evaporação...








4 comentários:

Cavok disse...

Tens aí uns enquadramentos fantásticos (visuais e verbais). Parabéns.

Toni disse...

Gosto muito dos teus posts e concordo com o comentário anterior. Estando em África a trabalhar, valem-me os teu relatos para viajar um pouco. Parabéns. Tenho muitas saudades de vespar por estradas secundárias, em passeios retemperadores. Em breve farei um post sobre as motas que vejo por cá.
Abraço

barreto disse...

estou perto de sentir o cheirinho a neve... saiste-me cá um poeta!!
é que sem sair da secretária viajo como se fosse o teu pendura ou sinto-me muitas vezes como o milimetro de plástico (ou borracha?)situado mais à frente da GTS ou da Helix, ali juntinho à estrada. sobrevoando baixinho...

VCS disse...

Meus caros, é reconfortante perceber que as metáforas também fazem eco no vosso bichinho de viajantes...

Um abraço!