sábado, 26 de setembro de 2009

Railroad Crossing (II)


 


 
















Explorando ambientes próximos da ferrovia em busca de cenários simbióticos com as minhas scooters. "Pode fotografar à vontade que o próximo comboio só passa daqui a hora e meia", diz-me o prestável funcionário da CP enquanto caminha pela linha e sobe a um poste para uma verificação técnica. Trocamos impressões sobre acessos a cruzamentos de linha que tenho assinalados e despeço-me, de volta à Nikon. Railroad Crossing...

11 comentários:

Bessa disse...

Afinal sempre compraste a grande angular... Boas fotos!

Um abraço

VCS disse...

Obrigado :)
A 8mm é divertida, fiz bem em comprar. Tem algumas limitações, mas depois de alguma habituação torna-se uma ferramenta indispensável no saco.

Júlio disse...

Belas fotos, bela máquina, belos caminhos! ;)
3 ingredientes para saborosos passeios. Uma receita tão simples como eficaz! ;)
A ver se um dia destes fazemos isso a dois. Temos que reavivar a Scuderia Granturismo.
Abraço
Júlio

Ah... e reparei também que andas a meter a Vespa em maus caminhos. Estou a ver que resolveste bem o "problema" de não teres chegado a comprar uma Dommie. Boa ;)

TodayAdventure disse...

De volta às DSLR, pondo os medos de lado, Vasco? Excelentes fotos, tirando o melhor partido do impacto um olho de peixe!

Zé Paulo.

VCS disse...

Júlio:
Fica feito o convite para apareceres por cá. A Scuderia Granturismo está na prateleira há demasiado tempo...
Quanto à Dommie e à Vespa nos maus caminhos, nada a fazer. Quem não tem cão caça com gato. Mas é terra pouco agressiva e sempre em souplesse.
Temos que trocar a Dommie pela Helix durante um fim de semana :)

VCS disse...

Zé Paulo:
Obrigado:).
É um facto que lentamente estou de volta ao transporte "frágil" de (D)SLR. Mas em condições relativamente controladas e nunca mais em mochila às costas. :)
Abraço!

César disse...

Olá,
Voltei, passado uns 20 anos, a ter uma Vespa. Optei por uma GT200L e tenho-a usado para fazer a IC19, em sentido inverso à confusão, diga-se.
Estou a pensar comprar um ecrã/para-brisas (?) tal como tinhas na tua.
Podes dizer-me se justifica mesmo? O que posso esperar de diferente?

Esteticamente prefiro sem, mas a "deslocação de ar" torna-se um pouco incómoda a cerca de 100km/h, velocidade que costumo praticar nestas deslocações.

Já agora, que consumos esperar desta mota?

Gostei imenso do blog e no fundo teve algum peso na minha decisão de voltar às motas e às Vespas, pois o 1º post que vi foi de uma bela sessão de fotos da tua GTS300... ;)

Obrigado,
César

César disse...

Esqueci-me de pedir notificaão de comentários seguintes para o meu e-mail...

VCS disse...

Bem-vindo César. Também eu não tinha accionado a notificação de mensagens neste post e só agora as vi.
Antes de mais, agradeço as palavras simpáticas e fico contente pelo facto do blog poder ter, de alguma forma, inspirado a aquisição da GT200.

Quanto ao cuppolino, a resposta não é linear. Comprei-o a propósito do Lés a Lés 2008, quando levei a GT, e fiquei surpreendido pela positiva com o resultado. No meu caso tornou-se mais confortável a utilização da scooter por volta dos 100kms/h e daí para a frente. Para quem tiver a minha estatura (1.70) ou inferior, e fizer percursos frequentes a esta velocidade, é um conforto extra bem-vindo. Quem for mais alto, deve tentar experimentar primeiro, porque são frequentes os relatos de utilizadores mais altos descontentes com a performance do ecrã original.
Há também alternativas, como o "Faco", que tem alguns seguidores.
Quando vendi a GT200 mantive comigo o cuppolino mas ainda não o instalei na Super. E não tenho pressa. Tenho preferido olhar para ela limpa desse acessório, em ligeiro prejuízo do conforto, até porque tem sido raro utilizá-la em vias rápidas e auto-estradas.

Vasco

VCS disse...

Quanto aos consumos, nunca fiz menos de 2,9, nem mais de 3,4lts/100kms. É muito económica. :)

César disse...

Oi,

Entretanto já passaram algumas centenas de Kms e já não estou tão inclinado para o acessório.
Acho que estou cada vez mais a situar-me numa velocidade de cruzeiro de 90km/h e prefiro a mota sem o dito.

Quanto ao consumo... Tenho feito 3,5 L/100, o que parece elevado face à tua experiência...

Obrigado pela informação, de qualquer forma, e continua o bom trabalho aqui pelo blog!