domingo, 22 de setembro de 2013

Bianca - O Filme




 
 
Este é um post especial, que encerra um capítulo. O Daniel, que conheci em Fevereiro depois do visionamento do seu short film "Made In RCICLA", filmou e montou "Bianca" numa sintonia quase telepática com algumas ideias e imagens, visuais e sonoras, que eu já trazia na minha bagagem. O meu conforto de expressão está, e julgo que sempre esteve, na fotografia. Esta aproximação à linguagem complexa e desconhecida do short film, foi um dos grandes prazeres que retirei desta experiência. O outro é desfrutar agora do documento, observando o trabalho do Daniel e a graciosidade da Bianca na tela. Não apenas em fotografia. Mas nessa linguagem nova que é a  fotografia em movimento. 
 

20 comentários:

montanhacima disse...

Foi um prazer passar um domingo inteiro a filmar.

Vivam as Vespas e os seus Vespeiros.

Lyp disse...

Vasco e Daniel: Muitos Parabéns!

Este vídeo valeu a minha arrepiadela do dia. Adorei.

Vasco, gosto sempre de ver a maneira apaixonada como vês e sentes a GTS... À medida que avanço nos Km´s da minha, compreendo-te melhor.

Obrigado por partilhares este vídeo.

João Ruas disse...

Gostei do "trailer"... boa realização, boa fotografia, boa banda sonora, bom texto e um elenco de luxo!!! mas... para quando o filme??? :)

Parabéns Daniel e Vasco! O filme mostra bem o bom domingo que passaram.

Abraço!

Castanheira disse...

Excelente!
Efectivamente a GTS é especial e quanto mais tempo se passa com ela mais forte a ligação se torna.
Faço minhas muitas das tuas palavras.
Como já foi dito acima, depois do "trailer" que venha o filme. Os 4 minutos passam demasiado depressa. :D
Abraço
Castanheira

Leo_Dueñas disse...

Inspira.

Abraço,
Leo Dueñas

VCS disse...

Daniel (montanhacima) :

O grande mérito deste filme é teu. A edição e montagem é quase tudo quando partimos de ideias mais ou menos dispersas que fomos filmando ao longo do dia. É a montagem que lhe dá uma certa coerência e unidade, um determinado sentido. Foi realmente interessante participar e assistir aos desafios constantemente presentes numa empreitada desta natureza.
Obrigado por isso.

Um abraço,
Vasco

VCS disse...

Lyp,

Obrigado pelo teu comentário. Ainda bem que o visionamento do filme não te foi indiferente, no bom sentido. Goza bem a tua GTS !

Um abraço,
Vasco

VCS disse...

João Ruas,

Obrigado pelo elogio à peça, que deve ser canalizados para o Daniel, como já disse atrás.

Como dizia o Daniel na rodagem ao Miguel, um filme com uma duração maior não resulta, pela simples razão de que ninguém o vê. Postas assim as coisas, é difícil acreditar que alguém queira ver um filme de dez ou mais minutos sobre o Vasco e a sua Bianca. :-)

Para além do mais, parece-me que a Bianca já está imortalizada assim.

Grande abraço,
Vasco

VCS disse...

Castanheira,

Obrigado pelo teu comentário.
É curioso como depois do filme vários proprietários de GTS comentam, aqui e por outras vias, que sentem uma ligação que vai para além da relação de mero uso com fim programado entre o homem e a máquina. Presumo que o despertar dessa reacção nos proprietários destas GTS (e não da Bianca em particular) também seja mérito da própria Vespa ao criar este objecto, que vai para além de um frio conjunto de peças que se movem harmoniosamente para cumprir uma tarefa.

Um abraço,
Vasco

VCS disse...

Leo,

Obrigado pela mensagem e pelo post no teu blog, com uma bela e sóbria legenda sobre o filme.

Grande abraço,
Vasco

Julio disse...

Belo! Parabéns Daniel!! :)
Vasco, ficaste com um registo maravilhoso! Que luxo :)
abraço aos 2.
Júlio

Máximo disse...

Que L U X O!
Parabéns ao Vasco por gostar tanto da sua Vespa, parabéns ao Daniel pelo shortfilm.
E ao contrário do que escreves Vasco, acho que se "consumiam" muito bem 10 ou 15 minutos de Vasco e Bianca, até porque sei que há material para isso.

Grande abraço, e um dia também hei-de ter a minha GTS...

VCS disse...

Júlio,

Obrigado pelo teu comentário.
Depois de ver o filme, não tens saudades da tua Vespa Granturismo ? :-)

Um abraço,

Vasco

VCS disse...

Máximo,

Obrigado pelo teu comentário.

O Daniel tem bastante material gravado, mas decidiu usar apenas uma pequena parte. A entrevista no VCL também acabou por ficar de fora. Quem sabe se um dia não é editada.

A GTS é mesmo uma Vespa de corpo e alma. Ficava-te bem. :-)

Um abraço,
Vasco

Rui Tavares disse...

Percebe-se que a cumplicidade entre o piloto e a máquina tem história anterior e terá muita história posterior. Fez-me lembrar alguns momentos já quase perdidos na história entre mim e a minha Heinkel. Gostava de ter ficado com registos desses momentos, como estás a fazer agora. Não devo estar por cá para testemunhar o cinquentenário dessa menina, mas quem estiver certamente ficará grato por estas imagens. Muitos parabéns também ao "montanhacima". Sempre me fascinou o vídeo. Nunca consegui aprender o suficiente para filmar mais do que uns segundos, tremido e desfocado.

Julio disse...

Vasco, a Granturismo vai deixar sempre uma saudade boa! Mas não desfazendo da Vespa, sinceramente, quando vi o filme tive foi vontade de fazer um passeio no Montejunto!! :D Temos que marcar isso!
Abraço
Júlio

VCS disse...

Rui,

A tua história com a Heinkel é matéria prima para um short film com rasto geracional. De avô a neto, com uma passagem sombria da máquina por um palheiro de permeio. E ainda se engalanou para exposições e Lés a Lés. História não lhe falta.

Abraço,

Vasco

VCS disse...

Júlio,

O Daniel "obrigou-nos" a descobrir uma estrada em Montejunto a 30 metros de um sítio onde já passei centenas de vezes: "estás a ver aquele traço lá ao fundo ? Está a passar um carro ali. Que estrada é aquela ?" É um pequeno pedaço de estrada com uns dois quilómetros, absolutamente maravilhoso, onde acabámos por filmar boa parte das cenas que aparecem no fim do filme, com a luz quente do fim de uma tarde de Setembro.

Um abraço,

Vasco

Duarte Marques disse...

Vasco, parabéns pelo filme.

Sinto o mesmo, mas pela TV1.

Grande abraço

VCS disse...

Duarte,

Obrigado pelo comentário.

No teu caso eu teria mais dificuldade em escolher um alvo predilecto. Se não falasses na TV1 talvez pensasse que a tua Li fosse a eleita.

Mas a verdade é que as motivações para a escolha - pode nem ser uma escolha em sentido próprio, mas uma "imposição" emocional - são diferentes em cada um de nós.

Independentemente do valor e raridade de cada uma das tuas Lambrettas, a DL200 continua a ser a minha preferida.

Um abraço,

Vasco