quinta-feira, 10 de março de 2011

Interrogações da Arte

Fotografia de Jurgen Rosner


Da autoria de Stefan Rohrer, esta peça está actualmente exposta na Feira Internacional de Arte de Karlsruhe. A localização da Feira pode parecer uma provocação, pois trata-se do berço da arqui-rival Heinkel. Detenho-me, porém, no significado da peça, sem que nada tenha lido sobre o que dela disse o seu autor.

Aparentemente pode sugerir um caracol, mas talvez a ideia de espiral também se adeque. Se assim for, a espiral empurra-me para a ideia de velocidade, por oposição à lentidão do caracol. 

Ou talvez para a ideia de círculo, de pretensão do movimento perpétuo, em si mesmo perfeito. 

Ou de eterna viagem. A Vespa em si mesma uma viagem, ou como instrumento da viagem. Onde o fluxo partida-chegada se confunde no e com o próprio círculo. Que não é perfeito, pois como sabemos... a Vespa tem os seus defeitos. 

Ou...

2 comentários:

Júlio disse...

ou...
uma espiral que nos atrai e hipnotiza, como tão bem o fazem estas pequenas scooters. :)
Abraço,
Júlio

Rui Tavares disse...

Uma Vespa esticada em Karlsruhe!
Complexo de inferioridade? É que assim ficou grande como uma Heinkel!